quinta-feira, 19 de junho de 2008

1979

E você passa todos os dias, todinhos
Todas as horas, todas as longas horas
Esperando, esperando e esperando...

Você passa todos os segundos, os longos segundos
Segundos, minutos, segundos...
Esperando, esperando e esperando...

Calendários e relógios esperando...

A hora de voltar...

Voltar...

Voltar pra que?
Voltar pra quem?

Você volta e nenhum deles está lá
Não tem mais nada lá

Você continua enchendo de aparências e ilusões
Enchendo de fumaça um buraco grande e estúpido
Encha todas as noites, noites inteiras

Você pode ouvir todas aquelas músicas que cheiram a 1979
Você fede a 1979

Você pode sentir o sol que queimava suas peles
E você pode sentir o cheiro daquelas ruas, o cheiro ruim daquelas ruas
Você pode sentir o cheiro da grama

E você pode lembrar do cheiro deles
Você pode sentir o cheiro de todos, todos eles

Mas você sabe que não tem ninguém ali

Você tem certeza de que não tem mais nada lá pra você...

Mesmo assim, você escolhe sempre a mentira, lembra?
Você sempre preferiu acreditar nas suas mentiras...

E você continua fingindo que acredita que talvez tudo vá voltar a ser como era...

Afinal, mentiras preferíveis e verdades acreditáveis sempre foram o seu forte...

O Menino Mentido

O menino mentido
Não precisa de mais nada
Sem oxigênio

O menino mentido
Não existe
De verdade

Ele nunca imaginou as coisas como eram
O menino com a visão fantasticamente distorcida

O menino mentido existiu por dois segundos
Ele lambeu lágrimas e beijou sorrisos

O menino mentido mentiu
Para fazer alguém sorrir

O menino mentido é um bostinha
E fez alguém chorar

Ele é tão pequeno
E suas coisas, e suas escolhas...

As coisas arranham
As ruas queimam
Pessoas não prestam

Ele não presta
E todo mundo é bonito
Mesmo não prestando

O menino mentido não existe
Ele mora na caixa
Lembra ou
Pensa que pensa.

O menino mentido tentou tudo que queria e não podia

E sucumbiu à sua própria inexistência.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

O que você faz quando não pode fazer nada?

Ou pensa que não pode fazer nada?

Você não sente vergonha??

.
.
.

Eu realmente preciso fazer isso? Precisa realmente ficar bom?

Eu acredito em uma coisa muito estranha sobre mim.

Eu ainda não sei o que é.

Mas tenho certeza que é bobagem.

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Lembre-se

Não esqueça que a culpa de "ser nada", ser algo ruim, não é sua.

Você nunca achou isso ruim, nem nunca esperou nada.

Se as outras pessoas esperam qualquer coisa de você, o problema é todo delas.

Corresponder à expectativas é um trabalho para cobaias de remédios...

Não estou dizendo que você não seja uma...

Ratinhos brancos ainda vão dominar o mundo...

domingo, 8 de junho de 2008