sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

a verdade que não tem

Eu poderia reclamar do Natal, como sempre sempre e sempre...

É o dia de comer e explodir. É o dia de tomar coca-cola em uma garrafa de três litros e fazer coisas coca-cola. É dia de comer um negócio que deve ser um frango geneticamente mutado com um porco.É dia de cantar Have You Ever Seen the Rain bêbado. Dia de parente.

É dia de tomar um litro de Wiskey e acabar com tudo. É dia de humilhar seus filhos, sua mulher e mijar nas calças.

É dia de lembrar que você é um bosta e não pode fazer nada.

É dia de perceber como todo mundo é fraco, ridiculamente fraco. Como todo mundo está triste e parece um graveto prestes a quebrar com o vento. Ou então que todo mundo é uma bexiga cheia de água por baixo da roupa que a qualquer momento pode rasgar, da onde lágrimas e mais lagrimas queriam jorrar.

É dia de ver como a comida parece com bebès e você é um assassino.

É dia de ver como você matou todo mundo, como todo mundo se matou e continua andando...

E depois de tudo isso vai ser o dia em que mais você vai gostar das pessoas... por se sentir triste por elas... pelos gravetos bexigas d’água...

E você vai querer dar um tiro bem na cara delas, para acabar com tudo.

Lembra daquilo? Esfaquear retardados....
...and spaceboy I’ve missed you....

...o verdadeiro espírito natalino...

Todo mundo desce tão baixo e se sente tão mal que isso gera compaixão...

E tudo o que você precisa, tudo o que você quer, simplesmente não existe.



And any way you choose me
We won't be long
Spaceboy, Smashing Pumpkins

Nenhum comentário: