terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Vinte e um sacos


Chegou aos 21 e percebeu que nada era como imaginava, simplesmente porque nunca imaginou nada

Nada que pudesse ser levado a sério

E nunca existiu alguém que pudesse ser levado a sério...

Porque é muito chato.

21 anos.

Presentes: os de sempre

1 DVD vagabundo do Nirvana

1 DVD vagabundo do Radiohead

daqueles de deizão...

você pode ficar sozinho e lembrar, e lembrar, e lembrar...

coisas toscas....coisas ridículas...coisas legais...

...lembrar de quando todos vocês saíram daquele churrasco, depois de acabar com o salão de festas de uma das meninas mais patricinhas da escola, entrar no “bolichão”, cantar Sexo Verbal no videoke, completamente bêbados e com as roupas ainda sujas de vômito, meio que gritando ”sexo verballl, não faz meu estilooo, palavras são erros, e os erros são seusssss”... gritar, gritar e gritar completamente desafinados: “FECHA A PORTAAAA, DO SEU QUARTOO, PORQUE SE TOCA O TELEFONE, PODE SER ALGUÉM, COM QUEM VOCÊ QUER FALARRR POR HORAS E HORAS E HOOOORRAASSSSSS”
Ser expulso do bolichão por isso, achar Legião Urbana um saco, mas o máximo poder berrar grosso: “EUUU SEEEEIIIII”

Ser imortal

Era isso

Todo mundo...

Imortal...

E de novo e de novo....

Que saco.

Um comentário:

Luana disse...

ainda bem que eu te dei chocolate.
UHAUHAUAUHAHAUHUAHUAHUAHAUHAUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUHUAHHUAHAUHAUHAUAHUAHUAHHUHUAA.

ai ai.