domingo, 21 de fevereiro de 2010

Estar na sua pele


Texto encontrado em um caderno velho da capa preta e tosca

E todos os dias sempre foram o último. Só que antes passava mais rápido.

Estômago amigo. Sinta aquela dor. Como meteoros caindo dentro de você, explodindo, se espalhando e te queimando.

Como se tudo fosse se abrir em duas fitas para te enrolar. Te enrolar completamente, em um casulo envolvendo apenas a inflamação do seu mundo.

Você se sente muito mal e é como se quisesse conservar a dor dentro de você, porque por mais que seja ruim, a sua tristeza é sua única garantia. Ela nunca vai embora ou cansa de você, embora você às vezes se canse dela. Ela vai estar sempre ali, te esperando, como um cachorrinho ou um amor abandonado.

Incondicional.

E ela vai ser sua eterna amiga.
Seu eterno amor.

E vai te consumindo e te desintegrando bem devagar. E você vai odiá-la, mas não vai conseguir se livrar dela.

Porque você faz parte da safra que veio com defeito.

Exagero.

Sou eu na sua pele. Por dentro.

E é tudo tão bonito por aqui. Sim, eu repito, é tudo tão bonito por aqui...

Mas às vezes da vontade de chorar. Não posso evitar isso.

Sou eu na sua pele. Por dentro. Refletindo.

Escavando.

Derretendo.

Sugando.
.
.
.
Reflexo

Eu só queria estar na sua pele.

Você sabe


E sabe qual é a grandiosidade por trás disso tudo???

Saber que daqui a pouco nenhum deles vai ao menos lembrar que você existe.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Só estou ali


Pelo menos para uma coisa toda essa confusão serviu: eu não saio mais esperando algo. Não espero nada.

Sim meus amigos, posso garantir que passo muito tempo olhando para meus tênis. Olho para a sujeira e os furos e penso: ta aí meu tênis. Espero que ninguém lave. Sabe, ele tem seu próprio estilo.

Posso garantir que olho para todos os lados e leio todas as placas e outdoors. Leio os rótulos e qualquer coisa que estiver ao alcance de minha vista.

E eu realmente não espero mais nada. Simplesmente esqueci.

Olho para meu zíper e penso como seria legal ficar abrindo e fechando meu casaco inúmeras vezes. Depois abro e fecho meu celular após verificar as horas cinco vezes em quatro minutos.

Estou realmente o tempo todo pensando em coisas como: o que teria acontecido com a Mary Jane naquele episódio se ela estivesse um pouco mais para a direita?

Às vezes só lembramos das coisas boas. Às vezes só lembramos das coisas ruins. Às vezes lembramos das coisas como queremos.

Agora eu não penso em nada. Eu só estou assim. Eu só estou ali.

Ou talvez esteja tentando provar que é isso mesmo que está acontecendo.

Talvez não importe


Imagino como seus olhos devem estar agora.

Se eles ainda são da mesma cor. Aquilo que eu pensei um dia não poder mais olhar.

Penso se sua pele ainda é do mesmo jeito. E que as palavras não devem mais ser as mesmas


Como as coisas eram tão mornas e úmidas

Como no final tudo que você precisava era de um lugar para ficar, não importava qual fosse.

Como eu não sabia nada sobre lugares, tudo que precisava era de um motivo para reclamar.

E como muito tarde, na verdade, era muito cedo.