quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

se irrite.

Os nervos arrepiados...

Arrepiados e pontiagudos

A pele arrepiada...

Arrepiada igual a um porco espinho

.
.
.

Tinha uma bola amarela e grudenta dentro do peito, uma bola que arrepiava e inflamava por tudo que irritava a menina.

A bola pulsava até ficar vermelha, até quase explodir.

Ela pulsava e inchava cada vez que a menina se irritava, o que era cada vez mais comum, por coisas cotidianas impossíveis de se parar.

Se irritava com a voz das pessoas, com o barulho, com o vento, com a insistência de alguns, com a claridade e com o escuro, com o calor e com o frio...

Tudo era motivo para a bola amarela de muco inchar, pulsar e quase explodir.

Mas o principal motivo era ela, ela e seu corpo. O cansaço de seu corpo, a fraqueza de seu corpo. A inquietação e a preguiça que esmagavam sua alma, incapaz de se animar diante de coisas tão conhecidas pelo destino. Coisas tão grandes que pareciam minúsculas perante seus olhos. A menina se cansava antes mesmo de pensar.

A menina. Só estava cansada.

E cansada de estar cansada.

Um comentário:

Arianne Carla disse...

Este texto ficou meio que intrigado pra mim... Apenas cansada...