segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

sobre entender.

Quanto mais você entende as pessoas, mais perde a fé nelas. Você se conforma que elas são assim e pronto. Perde até o direito de odiá-las, de sentir raiva delas. Simplesmente as aceita, deixa-as em seus próprios mundos, seus próprios tronos. Você entende que as pessoas funcionam apenas dentro delas mesmas, e vai perdendo o interesse. Se conforma em não esperar nada. Não espera nada e fica cada vez mais apático. Que façam o que quiserem. Você tem a sua caverna.

Você anda com todas essas convicções por aí, até que tropeça.

Você tropeça. Não é bem assim. Mesmo tendo aprendido muito sobre as pessoas, você vê que não é bem assim. Você é pego reinando em seu próprio mundo, vivendo apenas em você. Não é bem assim... Não é aquela velha história de exceções. É sobre existir o certo. O certo que você não tinha encontrado. O certo que é seu. Com todas as responsabilidades do mundo, ele é seu. E ninguém tem nada a ver com isso.

Obrigada por fazer eu me sentir feliz. Obrigada por me fazer bem e cuidar de mim. Obrigada por existir. E obrigada por não desistir de mim.

... Chocolate no Nirvana, são só seus olhos. A noite só é quente quando você está comigo. Você para o que estiver vindo rápido em nossa direção, só olhando. Quero que tudo fique bem, como você faz o possível. O ar que respiramos não é mais o mesmo. Nossas mãos e nossos olhos não são mais os mesmos. Um abraço, seu ombro, é todo o necessário. E que tudo em volta derreta ou exploda, eu não me importo. Chocolate. Calor. O silêncio. A música. Dormir bem. Porque você está aqui. Está aqui. E me disse pra ficar.

Um comentário:

Larissa disse...

Espero que isso não signifique sobrecarregar uma única pessoa.